RCT-SC implanta conexões de alta velocidade em Florianópolis

Aproveitando o momento de avanços tecnológicos no Estado com a criação  da  RCT-SC, em 1996 é implantado o primeiro segmento de alta velocidade na  rede acadêmica em Florianópolis. Esta iniciativa ficou conhecida como RMCT (Rede Metropolitana de Ciência e Tecnologia).

Esta rede interconectava o Campus Reitor João David Ferreira Lima da UFSC, UDESC, campus CCA/UFSC, EPAGRI, CIDASC, Secretaria de Agricultura e FUNCITEC através de fibra ótica single-mode entre UFSC e UDESC, e multi-mode entre UFSC e outras instituições.

Tratava-se de uma rede que faz uso das tecnologias ATM (Asynchronous Transfer Mode) e Ethernet, que atuava com protocolos IP sobre LANE e IP sobre Ethernet e possuía as capacidades de 155 Mbps através de ATM e 10 Mbps através de Ethernet contando com os equipamentos IBM 8260 e IBM 8271, respectivamente.

Desde sua criação, em 1996, até o ano de 2005, a RMCT não sofreu expansão física significativa, permanecendo praticamente inalterada neste perído. No entanto, neste intervalo de tempo, houve aumento da capacidade da conexão entre os pontos de presença do PoP-SC (RNP) e o PoP-UDESC (RCT-SC) que passou a operar com 622 Mbps em ATM e o aumento da capacidade de conexão das outras instituições que passou de 10 Mbps em Ethernet para 155 Mbps em ATM, em função de equipamentos que operaram da RMAV-FLN. A sua abrangência ainda era bastante restrita, conectando somente prédios da UFSC no bairro Trindade e instituições no bairro Itacorubi, fazendo com que demais unidades na região metropolitana da cidade (Florianópolis, São José e Palhoça) tivessem que se conectar à RCT-SC em baixa velocidade de 128 Kbps a 2 Mbps.

Ampliada capacidade da conexão do PoP-SC com a RNP usando tecnologia SDH (STM-1)

No ano de 2004, o PoP-SC começa a receber os enlaces da RNP utilizando a tecnologia SDH/STM-1, substituindo a tecnologia ATM (Asynchronous Transfer Mode). Os enlaces ATM para São Paulo e Rio de Janeiro, que juntos tinham uma capacidade agregada de 54 Mbps, foram substituídos por um único enlace de 155 Mbps SDH/STM-1 utilizando o protocolo de transmissão POS (Packet over SONET). Estes enlaces duraram até o início do ano de 2005.

Expandir

backbone_rnp_2004
Enlaces do PoP-SC com RNP utilizando SDH/STM-1 entre 2004 e início de 2005

A topologia implantada nesta época agregou as conexões da RMAV-FLN, que serviu de infraestrutura para conexão ao PoP-UDESC (RCT-SC). Nesta época o equipamento da RCT-SC estava presente na UDESC, onde eram agregados centenas de conexões oriundas do interior do estado.

Expandir

backbone_rmav
Primeiras conexões da R-MAV com o PoP-SC e RCT-SC

Ampliada capacidade da conexão do PoP-SC com a RNP usando SONET DWDM

No ano de 2005, o PoP-SC recebe os novos enlaces da RNP utilizando a tecnologia DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) a qual substitui a tecnologia SDH/STM-1. Esta tecnologia permitiu se criar uma nova rede sobre capacidade básica de transmissão Fibra X Lambda (sistemas multiplexados xWDM). O protocolo de transmissão POS (Packet over SONET) continua a ser utilizado. Neste momento, foram instalados enlaces com o PoP-PR e PoP-RS (Curitiba e Porto Alegre), substituindo o enlace que estava instalado para São Paulo formando o chamado Anel Sul. A capacidade agregada do PoP-SC atingiu 5 Gbps, 2 enlaces de 2,5 Gbps representando um aumento na capacidade em 32 vezes. Internamente na rede do PoP-SC, a banda disponível era de 1 Gpbs utilizando a tecnologia Ethernet.

RedeIpê
RedeIpê

Com a chegada das conexões de maior capacidade com 2,5 Gbps, com o aumento da RCT-SC e fase de transição da rede interna do PoP-SC entre ATM e Ethernet, o PoP-SC passou a concentrar as instituições qualificadas diretamente no roteador do antigo backbone da RNP, pois o ativo da RCT-SC já não comportava todo o tráfego de suas instituições. As conexões ATM/Frame Relay que chegavam até o concentrador da RCT-SC, localizado na UDESC, foram aprovisionadas através de PVC ATM (Permanent Virtual Circuit ATM) através da RMAV-FLN.

O equipamento de concentração dos enlaces da RNP instalados no PoP-SC foi o Juniper M40e. Como equipamento de distribuição do PoP-SC foi utilizado o equipamento Extreme Alpine 3804. Estas alterações de tecnologias e capacidades nos enlaces da RNP demarcaram o final da rede RNP2 e início da RedeIpê, rede que perdura até os dias atuais.

Articulações para a criação da REDECOMEP na região de Florianópolis

No ano de 2005 ocorreram as primeiras articulações para a criação de uma rede para Educação e Pesquisa na Região de Florianópolis no contexto da iniciativa REDECOMEP  (Redes Comunitárias para Educação e Pesquisa). A REDECOMEP é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), coordenada pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), que tem como objetivo implementar redes de alta velocidade nas regiões metropolitanas do país. O modelo adotado baseia-se na implantação de uma infraestrutura de fibras óptica voltada para as instituições de pesquisa e educação superior e na formação de consórcios entre as instituições participantes de forma a assegurar sua auto sustentação.

A primeira solicitação tratando a respeito da criação da rede metropolitana acadêmica da RNP na região de Florianópolis ocorreu através de e-mail em 11 de março de 2005. Neste, a RNP marca uma reunião com os representantes do PoP-SC e da UFSC em Florianópolis para o dia 17 de março de 2005. Motivados pela ideia da criação da rede, previamente à esta reunião, UFSC, PoP-SC e CIASC articularam uma possível parceria que ajudasse a promover a implantação da rede.

Na reunião entre RNP, PoP-SC e UFSC são iniciadas as articulações para criar a rede metropolitana acadêmica de Florianópolis. O estabelecimento desta rede levou em conta a parceria com o Governo do Estado, visto que nesta época o Governo também estava construindo uma infraestrutura de fibra óptica em Florianópolis (RMG – Rede Metropolitana Governamental) e a UFSC até então havia liderado iniciativas anteriores de criação da RMCT e da RMAV-FLN. Esta parceria é vista com bastante confiança por parte da RNP.

Expandir

email_resposta_criacao_remep
Primeira troca de e-mails referente à primeira reunião sobre a criação da possível rede metropolitana acadêmica da região de Florianópolis (REMEP-FLN)

Estabelecidas parcerias para criação da REDECOMEP na região de Florianópolis

No mês de maio de 2005, UFSCPoP-SC, FAPESC e CIASC se reúnem para discutir a criação da rede metropolitana para ensino e pesquisa na região de Florianópolis, sob a iniciativa REDECOMEP RNP. A partir desta reunião, foi formado um grupo de trabalho para realizar um estudo de viabilidade de criação da rede, realizada a formulação de convites para possíveis instituições interessadas em participar da rede, feito levantamento de informações e elaborado um pré-projeto.

A iniciativa REDECOMEP busca implementar redes de alta velocidade nas regiões metropolitanas do país servidas pelos Pontos de Presença (PoPs) do backbone da RNP, o que significa uma cobertura nacional. O modelo se baseia na implantação de uma infraestrutura de fibras ópticas próprias voltada para as instituições de pesquisa e educação superior e na formação de consórcios entre as instituições participantes de forma a assegurar sua auto sustentação.

Expandir

rmg-mapa-remep-rascunho
Mapa rascunho da RMG e REMEP-FLN