Proposição da rede estatual é reapresentada ao Governo do Estado

Com a crescente a necessidade de expansão da rede de Internet Acadêmica para outras instituições de ensino e pesquisa de Santa Catarina, ao final de 1994, UFSC, UDESC, EPAGRI e ACAFE  em conjunto, entregaram ao Governo do Estado uma proposta que amplia a abrangência da primeira proposta apresentada em 1991, e propõe a criação da RCCT – Rede Catarinense de Ciência e Tecnologia.

A proposta desta rede era expandir na âmbito estadual o alcance da Internet da RNP, criando uma rede estadual de alta qualidade para interligar as instituições de ensino superior e de pesquisa, principalmente agrícola, com a Internet, além de viabilizar uma infraestrutura para ensino a distância e intercâmbio de informações entre as instituições conectadas nesta rede.

O projeto propõe a criação de pontos de presença através do estado e instituições a serem conectadas nestes pontos. Inicialmente a proposta era instalar estes pontos de presença nas cidades de Florianópolis, Itajaí, Joinville, Blumenau, Canoinhas, Lages, Joaçaba, Chapecó, Tubarão e Criciúma.

Somente foi possível elaborar esta proposta, graças as articulações nacionais que estavam surgindo, com a presença da Rede Nacional de Pesquisa, bem como a institucionalização de um Ponto de Presença da RNP no estado, o PoP-SC. Entre a criação do PoP-SC e esta proposta, houve uma série de tentativas para expandir a rede para outras instituições de ensino e pesquisa de Santa Catarina, porém todas foram iniciativas isoladas e algumas com teor puramente experimental. Neste viés, podem-se citar os esforços da UDESC (Florianópolis e Joinville), EPAGRI, TELESC, CIASC, Blusoft (Blumenau), Softville (Joinville) e CTAI.