PoP-SC implanta Sistema Autônomo de Internet (AS) para melhoria da conectividade

No ano de 1998, o PoP-SC representado pela UFSC, solicita à ARIN (American Registry for Internet Numbers) o ASN (Sistema Autônomo de Internet). A solicitação do ASN tinha por objetivo separar o tráfego acadêmico do comercial e possibilitar uma melhor conectividade entre a RNP e RCT-SC. Na época, os termos da solicitação encaminhados à ARIN pelo coordenador de redes da UFSC e PoP-SC, foram:

The  Federal University of Santa Catarina (UFSC) receive the Point of Presence of RNP (Brazilian Research Network) in the Santa Catarina State (POP-SC). At the moment the POP-SC belong to the AS 1916 and have connections with the AS 8167 – TELESC, with the AS 10715 – RCT-SC and With the AS 10875 – POP-RS and others. 

In the next months the RNP (Brazilian Research Network) pretend divide the academic traffic and commercial traffic. In this perspective the POP-SC  and UFSC are creating  one routing policy with two main objectives: 

1) Optimize Internet traffic with direct connected networks (AS); 

2) To separate commercial and academic traffic in the manner that only academic traffic go to RNP ; 

In order to this policy can be implemented is necessary allocate one ASN for the POP-SC. 

Nesta época, as solicitações de recursos de ASN eram realizadas diretamente à ARIN através de um formulário próprio, que requeria informações sobre a entidade solicitante, informações sobre o roteamento, endereços de rede, dentre outras informações, que deveria ser encaminhado como parte do processo para obtenção do Número de Sistema Autônomo. Existia uma taxa de adesão e manutenção anual do sistema autônomo que era paga diretamente à ARIN. Posteriormente, foi criado o LACNIC para representar os países da América Latina e Caribe, e com isso, os ASNs foram transferidos da ARIN para sua administração. A partir de então houve a decisão  de isentar o  pagamento pelos recursos de ASN e numeração para entidades de educação e pesquisa o que incentivou o uso para instituições finais.

Ainda no ano de 1998, a solicitação de recursos de ASN foi realizada com sucesso e o PoP-SC recebeu o ASN 11242 para utilizar inicialmente para alocar os serviços comerciais. Logo após receber o ASN, o PoP-SC o implanta em sua infraestrutura utilizando o protocolo de roteamento BGP. Em Santa Catarina, já existia o ASN 10715 que era utilizado para as instituições de ensino e pesquisa.

Expandir

asn_pop_sc
Diagrama do funcionamento da rede autônoma no PoP-SC.


No ano de 2017, ambos os recursos ainda são utilizados. O ASN 11242 está sendo utilizado somente para o PoP-SC operar a rede e seus serviços, além de ter a função principal de AS de transito para todas as universidades conectadas ao PoP-SC. Já o ASN 10715 é utilizado para rotear os blocos IPs 200.135/16, 200.18/20 e 200.19.96/20 de uso compartilhado entre as instituições de Santa Catarina que não se tornaram um sistema autônomo ou estão em fase de transição.

A adoção de sistemas autônomos é fomentada pelo PoP-SC, principalmente através de seus Workshops de Tecnologia de Redes (ações diretas nas edições de 2012 e 2014), além de outras ações como palestras, treinamentos e suporte para convencer da importância do seu uso. Percebe-se que estas ações de fomentação estão sendo efetivas, dado que em 2017 já se tem uma adesão de 43% das Instituições qualificadas pela RNP em 2017. Em setembro de 2017 o ASN 11242 faz transito para 13 ASNs, possui 2 provedores de transito (RNP e FAPESC) e 1 conexão de Peering com o IX.br.

Conexões entre o ASN 11242
Conexões entre o ASN 11242

PoP-SC implanta redundância em seu backbone

Em julho de 2014 o PoP-SC implanta uma estrutura redundante no seu backbone, garantindo maior resiliência para as  instituições conectadas. Para isso foram substituídos ativos de rede antigos e inserido equipamentos de maior capacidade e tecnologicamente atualizados que foram disponibilizados pela RNP.

O antigo roteador de Backbone do PoP-SC, Brocade MLX4  (em operação desde 2010), foi configurado para trabalhar em paralelo com o novo roteador Brocade MLXe-8, assim o backbone do PoP-SC passou a suportar a tabela completa dos prefixos da Internet (Full Routing Table) para os protocolos IPv6 e IPv4. Além disso, as conexões no interior do estado foram migradas para switches de agregação L3 do modelo Extreme x460. As imagens dos equipamentos e topologia podem ser visualizados nas imagens abaixo.

Realização do III Workshop de Tecnologia de Redes pelo PoP-SC e REMEP-FLN

Nos dias 8 a 10 de outubro de 2014 foi realizado o III Workshop de Tecnologia de Redes pelo PoP-SC e REMEP-FLN. O evento trouxe como pauta este ano questões relacionadas à computação em nuvem, com a intenção de abordar o assunto sob a perspectiva das instituições de ensino e pesquisa, analisando o caso de sucesso da implantação da Nuvem USP. Além disso, o evento tinha o objetivo de aproximar o PoP-SC e seus clientes, possibilitando assim uma discussão na busca de melhorias dos serviços oferecidos.

O evento contou com diversas palestras no dia 9, apresentadas por representantes da UFSC, USP, IFSC, FAPESC, PoP-SC, RNP, ESR e Tecnoset.

Além das palestras, foram disponibilizados mini-cursos como capacitação para os presentes, sendo:

  • Introdução ao Gerenciamento de Serviços de TI (ITIL)
  • Introdução ao Monitoramento de Desempenho em Redes
  • BGP Básico

No dia 10, foi realizada a reunião com os gestores de TI das instituições, buscando uma maior aproximação com tema principal de conhecer as instituições. Cada representante apresentou um resumo dos dados de sua instituição contendo: número de Campus,  número de usuários (Alunos, servidores e professores), informações de conectividade (capacidade e quantidade), horários de funcionamento do campus. No final, abriu-se uma discussão sobre a operação do PoP-SC e REMEP-FLN para verificar um bom SLA de atendimento e as formas de incentivar uma adesão a serviços da RNP, pois a adesão a serviços da como Fone@RNP, CAFe, EDUROAM, conferência Web, etc.. eram muito baixa, principalmente para as instituições não federais.